MOUNTAIN BIKE

A HISTÓRIA DO MOUNTAIN BIKE
De Escola da BicicletaWebVenture e outros colaboradores.
Adaptados por Bianca Fernandes.

 

Em 1972, o Mountain Bike passou a ser praticado com regularidade em um tipo de competição com características bastante particulares. Na cidade de Marin County, o esporte começa a tomar forma. A garotada pegava as bicicletas, que estavam abandonadas nas garagens e que estavam em desuso e desciam as estradas de chão e trilhas da localidade. Não havia preocupação com o desempenho, mas sim com a pura emoção de descer a alta velocidade. E foi em meados dos anos 70, na era do rock n' roll e necessidade de jovens viverem a liberdade de expressão, adotaram a bicicleta para buscar altos desafios junto da natureza .
Ciclistas como Tom Ritchey desenvolveram equipamentos e acessórios para um tipo de ciclismo que viraria febre nos EUA dos anos 80. Essa modalidade era praticada em trilhas e estradas de terra e com bicicletas de alta velocidade, sendo aprimoradas mais tarde com câmbios para pedalar com mais força, pneus maiores e freios que respondiam com maior rapidez.
O Mountain Bike brasileiro nasce com os cariocas no final da década de 80. São eles que trazem um punhado de bicicletas importadas, formam um grupo de amigos que saem para pedalar em velhas fazendas, trilhas e estradinhas. Para quem não podia adquirir uma importada a saída era fazer adaptações nas bicicletas nacionais, principalmente da Monark Ranger, o seu segundo modelo. E são os cariocas que realizam o primeiro campeonato no Brasil, realizado em três etapas em Paraíba do Sul e organizado por Marcos Ripper. O número de participantes ainda era pequeno, mas o entusiasmo e a diversão eram fantásticos.
Em São Paulo o primeiro passo para introdução do novo esporte foi o Cruiser das Montanhas Caloi, organizado por Renata Falzoni em Campos do Jordão, em plena temporada de inverno. Vinte bicicletas Caloi Cruiser Light, de cinco marchas não indexadas, freio ferradura, guidão curvo alto, selim de mola única, pé de vela monobloco e pedais de plástico, eram emprestadas gratuita e diariamente em duas seções, pela manhã e à tarde. Os interessados eram levados por cinco ou seis guias para passeios fora do centro da cidade, por estradas de terra ou algumas trilhas mais fáceis.
Durante o ano de 1988 houve algumas provas no Estado de São Paulo, em Campos do Jordão, Campinas e Atibaia. Mas é em 1989 que o mountain bike dá um grande salto e passa a ser conhecido por todo o país. Renata Falzoni participa da organização do primeiro campeonato, a Copa Halls-Schick, que já na sua segunda prova contava com mais de 200 participantes. Na etapa final mais de 400 largaram. Em pouco tempo a Federação Brasileira de Ciclismo lança o Campeonato Brasileiro, com etapas nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.
Com o tempo diversas empresas estrangeiras entraram no Brasil trazendo novidades e máquinas com maior desempenho. E atualmente, o mercado de Mountain Bikes é extremamente difundido no Brasil, sendo praticado por ciclistas de fins de semana, escolhendo este tipo de modalidade para passeios pela natureza, buscando aventura, paz e saúde, saindo do estresse das grandes cidades.



ESTILOS

CROSS COUNTRY: É o mais tradicional e mais praticado estilo. Tem como característica provas de longas distância(de 30 -100 km) com descidas, subidas e retas em solos variados. Ganha quem fizer o menor tempo.

UPHILL: O próprio nome já sugere, são aquelas competições executadas apenas em subidas. As bicicletas devem ser leves para facilitar o manuseio, como as de bicicross. É o estilo menos praticado.

DOWNHILL: Estilo praticado apenas em descidas e é o mais recente estilo inventado. Nas competições o trajeto é feito em uma montanha específica e quem fizer a mesma no menor tempo ganha. Uma variação é o DOWNHILL ELIMINATOR onde ao mesmo tempo dois competidores descem juntos uma montanha inclinada, de pouca inclinação. O que chegar primeiro ganha. Pode ser disputado em pistas naturais ou artificiais. Elas, geralmente são curtas (em média 4 km) e feitas de pedras, raízes e diversos obstáculos. A velocidade alcançada pelos ciclistas não deve passar de 80 km/h.

DUAL SLALOM: É um estilo em que em competições, dois participantes correm em pistas separadas e bem parecidas e paralelas delineadas por bandeiras . Os competidores esbanjam manobras e curvas bem fechadas e nas curtas descidas.

TRIAL: Apesar de não ser um estilo, propriamente dito do Mountain Bike, é uma forma radical de estilizar o esporte . O competidor deve transpor obstáculos como mesas de camping, latas de lixo, escadas, carros, corrimãos, e tudo que possa aguçar o espírito competitivo e aventureiro dos competidores, mas com uma condição...não encostar o pé no chão. Portanto, aquele que conseguir ficar o maior tempo executando tais manobras nesta condição é o vencedor. A característica da bicicleta é bem participar para amortecer os impactos excessivos das manobras e proporcionar o efeito que eles chamam de "quicar". Precisam ter aros pequenos, freios hidráulicos, quadros pequenos para facilitar a mobilidade e calibragem bem baixa de pneus.






7 comentários:

  1. Puxa Bia que orgulho de você viu.... uma menina tão mulher... inteligente... espetacular... Fico feliz em ver que de um só coração Deus tira grandes talentos! Bjs, Lilian Andrade

    ResponderExcluir
  2. é isso aí! Concordo com você Lilian Andrade...
    "...Minha Futura Assessora de Imprensa é demais!"

    ResponderExcluir
  3. puxa agora como sou iniciante de Mountain Bike, agora com ela aprenderei mais ainda sobre os desafios, e como vou encarar esses desafios da minha vida ! eu acho que vou poder contar sempre com vc em !

    tchau, até mais e que Deus te abençoes e continue sempre assim um atleta incrivel e inteligente.. Parabens em !

    ResponderExcluir
  4. Muito boa explanação, mas ficou uma modalidade excluída. Essa modalidade tem papel primordial na criação do MTB mundial. Inclusive os principais atletas profissionais da categoria MTB passaram por ela, ex. Tinker Juarez no USA, Eduardo Ramires, Márcio Ravelli no Brasil, entre muitos outros. Na década de 60 a molecada da California USA, resolve colocar suas Sting Ray (bike com banco banana exclusivamente de lazer), em pistas de terra com alguns obstáculos, tentando imitar o Motocross com sua magrelinhas. Daí nasce o BMX, que foi fonte de criação para várias outras modalidades ciclisticas ex. Trial, Freestyle, Slopestyle, e MTB e suas vertentes.
    http://zonaextremabrasil.blogspot.com.br/2010/07/bmx-masters-2010-cologne-eu.html

    ResponderExcluir

Comente, esse espaço é seu!
Evite comentários anônimos no blog, utilize a opção Nome/URL.

Att.
Bianca Fernandes

Início